Um exemplo de Negócio Minimalista – na prática
Projetos enxutos, com baixo custo e poucos colaboradores, que possibilitam o estilo de vida que você deseja levar. São baseados na busca pelo suficiente para cobrirem nossas necessidades financeiras e desejos emocionais.
Quando falávamos sobre empreendedorismo há alguns anos, o tema era muito relacionado com sobrevivência: empreender por necessidade, como única opção de trabalho de um núcleo familiar. O empreendedorismo formal e informal continua, sim, sendo a única fonte de renda para muitos brasileiros. Entretanto, com o avanço da nossa busca pela liberdade e por propósitos pessoais, ele se tornou também uma possibilidade de auto realização: ao invés de trabalharmos pelos sonhos de outras pessoas, ele é uma chance  de começarmos nossos próprios negócios, sermos nossos próprios chefes e usarmos nosso precioso tempo para construir nossos próprios sonhos.
 
A teoria é linda. Na prática, empreender pode vir com longas jornadas de trabalho, que não necessariamente vão manter o negócio de pé, e muito estresse gerado pelas grandes responsabilidades e riscos. Para alguns, toda essa insegurança e pressão são compensadas ao testemunhar o negócio prosperar. Arrisco dizer que muita gente valoriza viver sob essa adrenalina constante. Outros, porém, podem ter experiências traumáticas, ou simplesmente terem o ritmo de suas vidas ditados pelo ritmo do negócio. No meu caso, o desejo era equilibrar uma carreira empreendedora com o estilo de vida que desejava para mim: com menos pressão, mais tranquilidade; menos ganância, mais propósito; menos regras, mais liberdade.
Meu negócio minimalista
Estou envolvida com o universo do empreendedorismo há 8 anos, trabalho oficialmente no meio empreendedor há 5 e há 16 meses iniciei meu negócio, a BemTeVi. Ao longo desses anos, sempre trabalhei com micro e pequenos empreendedores e vi muita grandeza no projeto de cada um. Ao sair do meu último emprego em uma startup de turismo, que também era um pequeno negócio, unido a tudo o que havia vivenciado até então, eu já tinha uma boa noção do que gostaria de desenvolver e evitar dentro da BemTeVi.
 
A BemTeVi nasceu como uma agência que realiza gestão de marketing e vendas de pequenas pousadas, sob ótica do turismo sustentável. Ela é rentabilizada por meio de comissionamento, ou seja, as pousadas não pagam um valor inicial nem um valor mensal fixo, apenas uma comissão sobre as vendas geradas por meio das iniciativas da BemTeVi. Dessa forma, elas não precisam desembolsar nenhum real que não seja diretamente revertido a elas, e a BemTeVi tem mais liberdade para gerenciar os canais de cada cliente.
 
Comecei a BemTeVi com os seguintes investimentos iniciais: todo meu tempo; a bagagem que eu havia construído estudando em uma reconhecida faculdade de marketing, viajando bastante por 10 anos e trabalhando com pequenos empreendedores, no Brasil e na Ásia; e menos de R$ 1.000,00 investidos em algumas ações de marketing e ferramentas digitais, que foram pagos já no primeiro mês. Em 16 meses, A BemTeVi se transformou muito – e aposto que daqui mais 16 meses muito mais terá mudado.
As surpresas pelo caminho
Quando comecei, meu plano era iniciar as operações com uma pousada de selva na Amazônia – com a qual eu já tinha bastante abertura -,  lapidar meu modelo de negócio e então expandir para pousadas em outras regiões do país. Durante o primeiro ano de trabalho fui percebendo que dentro dessa pousada, a Caboclos House Ecolodge, havia muito mais a ser explorado do que eu imaginei a princípio. Para prospectar novos clientes e ao mesmo tempo fazer toda a expansão que gostaria na Caboclos, provavelmente precisaria contratar mais gente.
 
Decidi então focar na Caboclos e desenvolver uma nova fonte de receita dentro dela. Essa fonte é uma vivência em grupo, que chamamos de Amazen. Ela foi muito bem aceita em sua primeira edição, superou nossas expectativas financeiras e de quebra nos trouxe muita satisfação e felicidade. Nesse momento, era para eu estar trabalhando nas próximas vivências, mas como todos os outros negócios no mundo, nossos planos foram virados de cabeça para baixo por conta da pandemia.
Financeiro, jurídico e atribuições
Apesar da BemTeVi ainda não ter atingido o que considero meu suficiente – minha meta financeira mensal em termos de remuneração -, ela já rende mais que eu projetava para seu segundo ano. Obviamente, todo o fluxo de caixa mudou por conta da crise do coronavírus, mas sendo eu a única colaboradora fixa da empresa, consigo trabalhar de casa, realizar poucos investimentos e manter os custos bastante baixos. E a primeira vivência Amazen, que foi realizada logo antes do isolamento social ser iniciado, nos deu fôlego para os meses de suspensão das atividades da Caboclos.
 
Em termos jurídicos, ainda me encaixo como MEI, por isso impostos impactam muito pouco do faturamento e consigo realizar a maior parte das demandas jurídicas por conta própria. Sigo acompanhando e evoluindo conforme necessário.
 
Quando se trata de funções, ainda faço sozinha, ou com o apoio de freelancers, tudo o que a BemTeVi requer: financeiro, jurídico, vendas, atendimento, operação e todas as produções e entregas de marketing. Por abraçar quase todas as funções da empresa, acabei aprendendo um pouco de tudo – o que me agrada muito e torna minha rotina bastante dinâmica.
 
O grande desafio que encaro no meu Negócio Minimalista hoje é sentir que a rotina empreendedora pode ser bastante solitária. Portanto, manter redes de amigos e colegas ativas, contratar freelancers ou me envolver com outros projetos pontualmente tornou-se essencial para suprir as necessidades de socialização, colaboração e troca.
Um exemplo de Negócio Minimalista 
A razão pela qual estou escrevendo tanto sobre a BemTeVi não é autopromoção, mas a possibilidade de trazer exemplos tangíveis de tudo o que proponho sobre Negócios Minimalistas. Listo abaixo suas principais características:
  • Investimento inicial baixo e break even em curto período de tempo. Se alguém não sabe, break even é o termo utilizado para o momento que a empresa empata seu investimento inicial com sua a receita: quando ela fica no zero a zero, nem lucrando, nem no prejuízo. Negócios Minimalistas não exigem grandes investimentos para serem iniciados. Por isso, o ideal é que você invista suas próprias economias ao invés de fazer um empréstimo ou ter um investidor externo. A pressão é menor, sua liberdade para criar é maior e o investimento inicial é retornado em pouco tempo. 
  • Equipe enxuta. Um Negócio Minimalista não quer dizer um negócio individual – por sinal, evite trabalhar 100% do tempo sozinho. A ideia é ter poucos colaboradores fixos e contratar terceiros e freelancers conforme necessidade de cada projeto, sempre baseado na colaboração ao invés da concorrência. Você não precisa entender tudo sobre todos os assuntos que envolvem um negócio, não coloque essa pressão em cima de você. Entenda o suficiente para contratar com sabedoria e objetividade.
  • Facilidade para se reinventar. Como o negócio é pequeno e menos pessoas estão envolvidas, é muito mais fácil se adaptar a novas realidades. No exemplo da pandemia do coronavírus, rapidamente alteramos eventos e viagens planejadas; testamos pacotes econômicos para nos adaptarmos à nova conjuntura do país; cortamos custos tanto da BemTeVi quanto pessoais; e conseguimos atender pessoalmente todos clientes afetados pelas mudanças, 
  • Poucos produtos e clientes com alta rentabilidade. A ideia é conseguir prosperar o negócio sem expandir ad infinitum toda a estrutura da empresa. Você pode fazer isso garantindo um atendimento de primeira, oferecendo um serviço ou produto com diferenciais visíveis e mantendo custos fixos baixos. A BemTeVi, por exemplo, ao invés de prospectar novos clientes no segundo ano, tomou a decisão de melhorar a relação e rentabilidade com um cliente específico.
  • Menos exposição a burocracias jurídicas. Sim, a parte legal existe em qualquer negócio; porém, em negócios menores, as burocracias também são mais simples, apesar de serem tão importantes quanto em qualquer outro negócio. No caso da BemTeVi, gerencio a maior parte sozinha porém me consulto com advogados ou contadores quando assunto é mais complexo.
  • Senso de conexão com o mundo. Um Negócio Minimalista reconhece que qualquer ação gera uma reação. Portanto, é responsável em suas práticas e consciente em suas falas, tanto com as pessoas envolvidas em seus processos, quanto com a natureza. A BemTeVi promove o turismo sustentável em uma comunidade cuja principal fonte de renda é a atividade turística. Apesar de termos muito para evoluir, principalmente em termos de sustentabilidade, sempre ponderamos se nossas ações estão alinhadas com nossas intenções e considerando o restante da cadeia de valor.
  • Equilíbrio da vida pessoal e profissional. Deixei por último o ponto mais importante em um Negócio Minimalista: estilo de vida. A maneira como podemos e desejamos levar a vida é extremamente pessoal e única. Como o conceito de negócios que venho lapidando é totalmente conectada a estilo de vida, quer dizer que cada um de vocês irá absorver tudo isso de maneira diferente. Nenhum dos passos acima são regras, e pode ser que com mais experiência muitos desses insights mudem radicalmente até para mim. O que quero dizer é que desenvolvi a BemTeVi com objetivos que iam além do negócio em si, visualizando como meu trabalho impacta meu dia a dia e como posso usá-lo a favor da vida que quero levar.

Nessa trajetória, conheci pessoas e autores bem mais experientes que eu, compartilhando sucessos e fracassos. Uni isso tudo à minha experiência pessoal e decidi abordar esses assuntos dentro de um conceito único que chamei de Negócio Minimalista.

Como eu desejo uma vida de mais liberdade, mais propósito e menos tensões, venho desenvolvendo meu negócio baseada nessas premissas. Se você quer uma vida de mais luxo, reconhecimento e maiores responsabilidades, talvez o caminho para você seja projetos maiores, de crescimento exponencial. Se você não pode correr os riscos de empreender agora, ou gosta de trabalhar para outras pessoas pela segurança, pode ser que continuar na posição de ser contratado ao invés de contratar o faça feliz.

Mas se você deseja ter seu próprio negócio e, assim como eu, prioriza o equilíbrio entre resultado financeiro e estilo de vida, espero que o Negócio Minimalista contribua na sua jornada.

Cadastre-se para receber novos textos. No máximo 1 email por semana. Não mais que isso ;]

A busca pelo suficiente.

Um negócio minimalista visa o suficiente para proporcionar o estilo de vida que sua equipe deseja. Esse é o caso da estruturação da BemTeVi.

Se você acredita que tão importante quanto ter um negócio rentável é garantir sua liberdade e equilíbrio, o negócio minimalista pode fazer sentido para você.